segunda-feira, 12 de março de 2018

Tristeza na região, Cruzeiro fora do Gauchão em 2019

Cruzeiro não jogo o Gauchão em 2019
Fotos: Joze Haag

O Cruzeiro de Cachoeirinha perdeu para o Caxias, por 1 a 0, neste domingo (11/03) e despediu-se do Campeonato Gaúcho da Série A, para a tristeza de muitos desportistas aqui da região.
Este é o segundo rebaixamento da história do Cruzeiro. O primeiro aconteceu no dia 3 de abril de 1966 com um empate em 2 a 2 com o Rio-Grandense de Rio Grande.
Uma grande tristeza se abate em Gravataí e Cachoeirinha, cidades que acolheram o Estrelado. O clube ainda luta para finalizar as obras do seu estádio em Cachoeirinha e, assim, há algumas temporadas – com a lacuna deixada pelo Cerâmica – joga no Vieirão e, de algum modo, também representa a cidade de Gravataí.
Torcemos pra que o Cruzeiro possa se reerguer e retornar ao seu devido lugar em 2020. Estaremos acompanhando e torcendo para isso!
Sorte ou faltou competência?
Pois é achamos que a sorte não foi boa para o Cruzeiro, principalmente em três jogos.
No jogo contra o São José o Cruzeiro vencia até os 40 min do segundo tempo quando em duas bolas o São José virou o jogo.
No jogo contra o Brasil aqui no Vieirão o Cruzeiro abusou de perder gols feitos, até que o Brasil foi lá e marcou o gol da vitória.
E agora jogo contra Caxias, pênalti a favor do Cruzeiro que salvaria o clube do rebaixamento, foi desperdiçado.
Estes fatos é falta de sorte ou faltou competência?
O jogo
O jogo, em geral, não teve grandes emoções, principalmente no primeiro tempo.  A chance inicial da partida foi do Cruzeiro, em chute de fora da área de Foguinho. O Caxias respondeu com um chute de Nicolas.
A segunda etapa da partida foi mais dinâmica. Logo aos dois minutos, Wagner chutou da entrada da área, mas a bola foi por cima do gol Grená. Aos 28 minutos, Nathan ganhou a dividida com o zagueiro e cruzou para Daniel Cruz completar para fazer 1 a 0 para o Caxias. Precisando da vitória para escapar do rebaixamento, o Cruzeiro partiu para o ataque e teve a chance de empatar em um pênalti, aos 32 minutos. Kozlowski bateu, mas Gledson defendeu a penalidade máxima.
O Cruzeiro teve: Deivity; Lucas Carvalho (Michel Renner), Fernando Pinto, João Guilherme e Jonathan; Ben-Hur, Foguinho, Dê (Jefferson) e William Kozlowski; Wagner e Saldanha (Bolt). Técnico: Ben-Hur Pereira.
Caxias: Gledson; Cleiton (Igor Bosel), Jean, Laércio e Julinho; Marabá, Gilson, Diego Miranda e Túlio Renan (Nathan,); Nicolas e Gabriel (Daniel Cruz). Técnico: Luiz Carlos Winck.
Arbitragem: Leandro Vuaden auxiliado por Elio de Andrade Junior e Leirson Martins.
Gol: Daniel Cruz (28’2º) para o Caxias.
Local: Estádio Antônio Viera Ramos (Gravataí)







Nenhum comentário:

Postar um comentário